Quem escreve

Eu sempre acreditei no jornalismo como um agente transformador da sociedade, como o mediador entre população e governo. Eu sempre achei que podia fazer do mundo um lugar melhor através do meu trabalho, que é minha paixão.

Eu sempre quis ser jornalista, mas não me lembro se essa ideologia sempre esteve atrelada. Meu último ano de faculdade foi decisivo devido ao meu último estágio, no Instituto Observatório Social (www.os.org.br), onde se faz um jornalismo denunciativo, que efetivamente mudam algumas coisas. E isso sem ser em um grande veículo. E então eu passei a ver que meu sonho era possível.

Meu trabalho de conclusão de curso foi um documentário sobre a Revista Ocas”, que re-insere socialmente pessoas em situação de rua. Através de um veículo de comunicação, isso também era possível. Como desacreditar do poder do jornalismo diante de tudo isso? Como não acreditar? O documentário Ocas” – Atravessando a rua, inclusive foi selecionado pela Comissão de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo para uma mostra em dezembro de 2007 em comemoração dao aniversário da Declaração dos Direitos Humanos.

Diante de tudo isso eu só poderia apostar. E desde o final da faculdade, em 2006, eu procuro atuar e me especializar nessa área. Em março de 2008, entrei na APOIO (www.apoio-sp.org.br) para executar a parte de comunicação do Programa Urbano (www.programaurbano.com.br), um projeto da União Européia. Sofri, aprendi e entendi que tinha que me especializar em Direitos Humanos. Ainda busco por essa especialização, mas já comecei a dar meus primeiros passos para me manter na área de jornalismo social e de Direitos Humanos.

Este blog tem o intuito de me manter em ação na área e foi quando me afastei um pouco da área, indo trabalhar na comunicação interna de um banco. Mas a empreitada no banco durou pouco tempo e voltei mais perto pro que eu gosto. Atualmente, estou em uma entidade sindical e faço pós-graduação em jornalismo social na PUC-SP. Mais perto da área que gosto e, portanto, mais feliz.

14 Respostas to “Quem escreve”

  1. Paula 21/09/2009 às 16:06 #

    Olá Adriana! Parabéns pelo blog e pela iniciativa!
    Gostaria de saber se você possui algum estudo ou pesquisa de crianças carentes na região do ABC – SP.
    Obrigada e fica com Deus.
    Paula

  2. Didi 29/09/2009 às 17:21 #

    Oi Paula, eu não tenho esta informação não, mas você pode ser que a encontre na Secretaria de Assistência Social ou Desenvolvimento Social da sua cidade. Espero ter ajudado.

  3. daniele meireles 29/10/2009 às 10:56 #

    Olá, Paula. Gostei muito do que vi aqui. Como jornalista sempre fui apaixonada por essa linha de jornalismo e gostaria de manter contato contigo.

  4. Alexandre Fisberg 21/07/2010 às 14:05 #

    Oi Adriana, tudo bom?
    Gostei muito do seu blog. Tenho escrito um blog com a mesma proposta de jornalismo social.
    Dá uma olhadinha lá 😉
    Estou indo fazer uma especialização em Desenvolvimento Social (India/Israel) e poderiamos manter contato.
    Um abraço

    • Didi 21/07/2010 às 17:24 #

      Olá Alexandre, como vai?
      Adorei o blog. Inclusive vou linká-lo. É sempre bom ver iniciativas como as nossas!
      Também achei bacana a sua especialização, podiamos manter mais contatos sim.
      Qualquer coisa, estou à disposição e ao alcance do mouse.
      Abraços,
      Adriana

  5. Leonor Nisiyama 05/08/2010 às 14:14 #

    Adriana,
    Tenho de fazer um trabalho sobre moradores de orfanatos e para onde vão depois de completarem 18 anos. Procurei via Google e abri o seu blog. Excelente!
    Parabenizo seu trabalho e vou acompanhar os seus artigos.
    Um abrço.

    • Didi 06/08/2010 às 9:22 #

      Olá Leonor, é um prazer tê-la como leitora.
      Volte sempre.
      Adriana

  6. Marcio Ramos 20/08/2010 às 12:56 #

    Muito legal. Gostei.

  7. Tulio 01/03/2011 às 17:46 #

    Olá, Adriana!

    Como estudante de jornalismo, gostei e me identifiquei bastante com a sua descrição! Parabéns e boa sorte no futuro!

  8. Helô Regina 08/06/2011 às 23:53 #

    Oi Adriana, estamos precisando entrar em contato com você. No entanto, o seu e-mail do UOL está retornando e perdi meu celular e com ele o seu número. É algo um pouco urgente, portanto se você puder me enviar um e-mail agradeço. Um abraço, Helô (helo.regina1986@gmail.com). Um abraço.

  9. Claudia 04/05/2012 às 11:09 #

    Olá Adriana, sou Cláudia, moro em Roraima e sou presidente de uma associação de apoio a adolescentes e jovens em situação de risco. Realizando uma pesquisa na internet acabe encontrando o seu blog e gostaria de pedir-lhe um auxilio. Se for possivel gostaria que entrasse em contato comigo por email taiaoliveira@hotmail.com. Obrigada e parabens pela iniciativa!

  10. CARMELITA LOPES 15/10/2012 às 12:26 #

    parabéns pelo sit, adorei

  11. luiza rodrigues silva 04/03/2014 às 21:39 #

    Quero saber? quando uma pessoa ea gredida en casa pelo o marido vai se esconder na rua e pede ajuda e eviolentada por pessoas da lei na presenças dos filhos oq se deve fazer?

    • Didi 06/03/2014 às 11:19 #

      Olá Luiza, aconselho a procurar o Disque 100 e uma delegacia especial da mulher para obter informações mais consistentes e, caso seja necessário, requerer as medidas protetivas de urgências estebelecidas pela Lei maria da Penha, que podem lhe assegurar abrigo seguro para você e seus filhos e afastamento do agressor e punição em caso de descumprimento.
      Espero que estas informações te ajudem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: